Agricultores familiares e mulheres trabalhadoras rurais exibem produtos em Vitória

Foto: Divulgação/Seag ES

A Feira da Agricultura Familiar e a Feira das Mulheres Trabalhadoras Rurais aconteceram entre os dias 04 e 06 de outubro. 

Como é gostoso acordar e tomar um café com leite, comer um pedaço de queijo ou até mesmo saborear uma fruta docinha. Presentes em momentos importantes da nossa vida, os alimentos produzidos pelas mãos das famílias rurais capixabas estiveram nos estandes da 14º Feira da Agricultura Familiar e Reforma Agrária do Espírito Santo (Feafes), que aconteceu de sexta-feira (04) indo até domingo (06), na Praça do Papa, em Vitória.

O grande encontro entre o campo e a cidade reuniu expositores do interior de todo estado que trouxeram produtos elaborados pela agricultura familiar com valores a partir de R$ 5. Trouxeram alimentos orgânicos, queijos, mel, biscoitos, linguiças artesanais e diversos outros disponíveis para venda e degustação em estandes. A cozinha típica da agricultura familiar também marcou presença na Praça de Alimentação do evento.

Proximidade entre campo e cidade

A feira trouxe oportunidade ao morador da Grande Vitória de apreciar, valorizar e levar para casa uma diversidade de produtos típicos do interior. O evento também contou com atividades de cidadania e culturais, estandes de artesanato, painéis de debates, encontros de negócios, além de muita música e danças típicas da cultura rural tradicional.

A Feafes é promovida pela Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Espírito Santo (Fetaes). Um dos objetivos da feira é promover oportunidades de acesso a mercados diferenciados para agricultores familiares e assentados de reforma agrária para a melhora das condições de vida, essenciais para uma categoria que deseja permanecer no campo.

Mulheres rurais, indígenas e quilombolas presentes

Durante a realização da Feafes, no mesmo espaço, também aconteceu a 1ª Feira Estadual das Mulheres Trabalhadoras Rurais do Espírito Santo (Femtru-ES). Estivem presentes dezenas mulheres, entre elas quilombolas e indígenas, que trabalham dia a dia plantando e colhendo alimentos que vão para a mesa do capixaba. O artesanato feito pelas mãos femininas como bolsas, objetos decorativos e até artigos indígenas, puderam ser apreciados na feira.

Para esta edição da feira, a Fetaes destacou a necessidade de discutir a diversidade de gênero nas relações familiares das comunidades do campo. O trabalho das mulheres, jovens e idosos têm um papel fundamental no desenvolvimento socioeconômico e cultural. A entidade defende a implementação de políticas para potencializar a igualdade e empoderamento desses atores e que também visem o fortalecimento e permanência das famílias no meio rural.

Fonte: ASCOM/Seag ES